Uma Declaração de Amor

24/08/2014 10:50

Há muito tempo atrás, publiquei em meu antigo e extinto site "Terra da Poesia" uma declaração de amor que fiz para uma pessoa cujo nome nunca revelei. Pensei que tivesse perdido para sempre este site, até que o encontrei em um antigo CD de backup. Compartilho com você, com todos os erros e acertos, o que escrevi na época.

"Minha amada, 

Em meus poucos anos de vida, poucos foram os amores que tive. Se minhas duas mãos utilizasse para contar meus amores, dedos sobrariam. Se apenas uma de minhas mãos utilizasse para contar as pessoas que beijei, dedos também sobrariam. Quem dera eu pudesse ser como alguns poetas do passado, sempre envolvidos em alguma confusão amorosa. Mas não sou, de comum tenho apenas o amor pelas letras e a paixão pelos versos. 

Se quero estar só, sempre estás comigo em lembranças. Quando acordado, posso ver-te com aura tão brilhante que me cega e por isso pouco esforço preciso fazer para desviar meu olhar. Quando adormeço, não posso encontrar paz, pois em sonhos tu me persegues e nele tudo posso, até mesmo ter os beijos que não tenho, até acordar e perceber que sou apenas normal novamente e afogar-me em meu amor por alguém tão distante. 

Como já dizia Fernando Pessoa: O poeta é um fingidor. Eu estou entre os melhores, pois durante tanto tempo fingi estar bem, quando na verdade queria muito minha alma gêmea que se escondia de mim toda vez que a procurava. Temo que o que dizem seja verdade: que quando conseguimos o que muito queremos após muito tentar, a graça se perde. Isso já aconteceu e senti na pele, não como o que tenta conquistar, mas como o que é conquistado. Após tanto buscar, nunca poderia deixar de valorizar-te, minha querida, pois tu és o meu tesouro mais valioso. 

As estrelas tenho por testemunhas de que sacrifícios por ti, seriam prazeres. Por ti eu criaria asas e como Ícaro voaria até a mais brilhante estrela e lhe traria embrulhada em uma nebulosa. Poderia mergulhar no mais profundo dos mares e lhe trazer a maior pérola jamais vista. Diria: "cante vento! cresçam flores!" - e seria atendido; o poder da fé é muito pequeno perto do poder do amor e este o tenho de sobra. Se a distância hoje nos separa, algum dia será apenas lembrança. O amor à distância somente existe e sobrevive quando é forte, seguro e eterno. A distância somente nos mostra o quanto nosso amor é puro. 

Quem dera enquanto leres o que escrevi, por um segundo me notes em um rascunho de papel, mesmo que me esquecesses por todos os segundos futuros. Quem sabe eu não pudesse ver um de teus olhos brilhar, quem sabe os dois! Quem sabe não visses que, por trás de minha timidez e meu jeito desligado que na verdade é meu manto, existe um coração que bate e entra em convulsão toda vez que ouço sua voz, e que estrelas cadentes cruzam meu céu quando vejo teu sorriso...

Como poeta, sou um marinheiro à deriva e que em negros horizontes encontra a ti, minha estrela guia, como a única luz a me iluminar. E agora que tens em mãos minha declaração de amor, sabes que eu poderia dar por ti a minha vida e ressucitar. Sabes que eu a seguiria... para qualquer lugar...

Te amo e o amor que sinto por ti é mais alto que a montanha e mais profundo que o mar. 

Beijos

Marcell"

Algumas vezes pode ser interessante procurar coisas empoeiradas do passado. Ainda me lembro para quem escrevi, mas guardo este segredo a sete chaves.

Que as luzes dos sábios iluminem o seu caminho.

Marcell H.K.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!